terça-feira, 9 de janeiro de 2007

No Trilho

Ainda me lembro dos solitários tempos de estudo, quando costumavam faltar uns 15, 20 dias para os exames: ferrava-me em casa, e, práticamente, só saía para comprar comida, ou, então, para ir à casa da minha Mãe, almoçar e jantar; o remanescente, era para estudar, e dormir 4 a cinco horas; o resto do grupo fazia o mesmo; assim, se passavam 15 , 20 dias, em que ninguém se via; mas, todas as noites, invariávelmente, por volta das 3, 4, horas, começavam a pingar nos portáteis, de quem, como dizíamos, estava no trilho, mensagens que reparavam a saudade, que era mais que muita.
Hoje, e, aqui, as conexões são outras, os assunto vários, mas, também, há um trilho , e vai valer a pena. Seguramente.

2 comentários:

mari disse...

ó. honra-me ter palavras que voam de Portugal até esse cantinho da Nova Lusitânia...


é, o mundo mudou, e toda essa ficção científica que é a internet, sinceramente, ainda me parece um sonho, um torpor muito do bom e perigoso...

jbettpinto disse...

Eu,é que lhe agradeço, gentil senhora das letras!