quinta-feira, 29 de maio de 2008

Versões


"A única forma de suportar a existência é aturdir-se de literatura como em uma orgia perpétua."
Gustave Flaubert

"O sol doura sem literatura"
Fernando Pessoa

"Parecia-me que a literatura agregava quartos ao mundo, assim comos e agregam quartos a uma casa. E esses quartos eram infinitos e atraentes. Creio que os bons romances são como casas em que uma pessoa gosta de morar".
Adolfo Bioy Casares

"Nada é real se não o escrevo."
Virginia Woolf

"Quanto a escrever, mais vale um cachorro vivo."
Clarice Lispector
Espero, no mínimo, 22 comentários para este post polêmico, hein? Abraços fraternos...

quarta-feira, 28 de maio de 2008

segunda-feira, 26 de maio de 2008

5768

Existimos de há muito como Povo, e sobrevivemos em várias épocas às mais execráveis tentativas de exterminação que já foram lançadas contra a pessoa humana.
Hoje, pouco podem, por isso, promovem a injúria contra o Estado de Israel!

sábado, 24 de maio de 2008


os delírios e as náuseas e os poetas e os sabores de sorvete, algumas frases prontas que copiamos uma da outra, a clandestinidade partilhada à distância e a orgânica necessidade de ócio para a nossa natureza não murchar, e até mesmo os chocolates escondidos nos bolsos e revelados no momento certo é o que vale lembrar de nós. mas de tudo, eis o valente, grande gigante da alma é o que poderia ter ficado para trás.



o medo sempre nos atou.

Saramago you aren't the only one...

Primeiramente antes que venham as pedras esclareço que a foto acima não é de um conflito entre árabes e israelenses, mas é sim, o exército de Israel ali. A foto ilustra um pouco do que acontece por lá...



"O que mais preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem-caráter, dos sem-ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons." Luther King




Essa frase, de um dos grandes espíritos que já pisaram sobre esse mísero Planeta, ecoou na minha cabeça novamente. Mas, não somente na minha cabeça, nas minhas veias, meus pulmões, na freqüência cardíaca que empurra meu sangue às vezes revolto. Acho que poderíamos ter sido amigos, amigos de alma, porque pensamos do mesmo modo e, não somos os únicos. Assim, o grande poeta português também poderia ser meu amigo. Sim, meu amigo, como você não suporto a injustiça, a violência, o terror de Estado, o desprezo pelos valores mais básicos do que pode se chamar de uma vida humana. E há, ainda, os que o chamam hipócrita. Muitos desses cegos pelos nacionalismo ufanista fecham os olhos à brutalidades e violências de toda espécie. Nacionalismo ufanista que foi o que deu exatamente a força que o Nazismo precisava, levando seres que jamais seriam capazes de concordar com desumanidade apoiar um regime horrendo, multidões cegas. Dizem que nunca esteve lá para poder ter alguma opinião, mas certamente nem eu nem você precisaram ir a Auschwitz-Birkenau, ao Viatnã, ao Chile em 1973, à Guerra do Paraguiai, ou a qualquer outro lugar para se ter uma boa idéia do que ocorreu por lá. Nos sabemos a verdade meu amigo, e sabemos que ela é muito, muito pior do que as parcas imagens que os noticiarios revelam. Mas, então meu amigo, vamos deixar as pessoas que vivem por lá relatarem o que se passa não é? Por que alguns poucos podem se deixar levar por afirmações equivocadas. Saber porque Israel é o país que mais desrespeita os direitos humanos no mundo, porque os EUA o apoiam incondicionalmente usando seu poder voto na ONU para ter vetado 40 questões relativas ao desrespeito pelos direitos humanos pelos israelenses, porque Israel é o país que mais recebe dinheiro dos EUA no mundo. Vamos ouvir o que alguns jornalistas, historiadores, pessoas responsáveis pelos Diretios Humanos, Anistia Internacional, o povo palestino, os judeus ortodoxos entre outros...




E os sionistas belicistas ufanistas? Esses nós já sabemos a versão...




Não meu amigo you aren't the only one...


















normandinha nas ganas

em tempos de prisão, poema após msn bate-volta com Minuzzo. só pra não dizer que eu não lembrei da sanha tormento. definitivamente ele mora nesse corpo.




::


a dualidade do eu

não se preocupe

não é anomalia


é normalidade generalizada






como uma mala que queria ser lama


e no final virou dalai-lhama


em tempos de Obama na cama


com Clinton




::

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Há 40 anos - Martin Luther King Jr. e os judeus


quando a Ane liberar a opção de comentar, eu coloco esse post lá embaixo. sei que é demasiada pretensão colocar a resposta do "Luso e Curta" aqui, mas não me seguro, preciso. agora. desculpem. lá vai.




simplesmente afu, Minuzzona Mágica.
e tu acha que eu não sabia que tu queria só homenagear o cara e que eu não saquei o trocadilho?

claro que eu saquei, mas sabe aqueles dias em que tu tá realmente afim de escarafunchar as bicheiras, desenterrar os tormentos e levantar poeira sem se importar de ficar com olho seco?

se, por um lado, O "Who cares" do Ênio (ao contrário do que ele provavelmente pensou) não me magoou, porque cá no sítio as palavras são destituídas de tonalidade de voz - freqüência essa deveras importante pr´gente captar o além da conotação das palavras congeladas aqui num simples screen estático e intangível para maiores abstrações; por outro, ele também, não captou que o meu "EvERY FuCKiNG DAy oF mY LiFE.
yES, i´M jEWISH."
não era um expelir raivoso, e sim um 'rá-vivoso', ácido lisérgico da minha louvada paranóia Sionista.

sou escorpion, baby, sou bicho das entranhas, da fermentação, do planeta marte, deus da guerra, regendo a genitália ao parir força de filhos que não saem pra Israel existir como Estado; tenho devoção ao amor que o meu povo dedica ao estudo, e paixão ao meu ódio por qualquer eflúvio que cheire a anti-semistismo. E isso tá tudo junto, cegamente enosado como um novelo brincado há pares de anos por gato louco e sem a mínima chance de desate.

enfogueirar situações faz parte de mim. é me sentir viva, pulsantemente viva esse aquecer do sangue morno ao quente à guisa de bem prepará-lo para os círculos de fogo que o mundo me oferta como um necessário baralho a ser jogado pra ganhar ou ganhar.





poemas, lirismo, decoro, metafísica, diplomacia, romantismo -adoro -(sério!) mas o meu lado bicho pede mais, torna-me refén irracional e quer subir nas paredes.

agora...

apenas não me venham com falácias de "uma tal panfletaria ridícula",
porque baby, aqui não tem n-a-d-a de ridículo; aqui, tem um alguém que sabe do que fala e não faz questão de ser educada, porque prefere sentir-se mais viva ainda, vivinha da silva xavier de alcântara machado ao escancarar na lata, no ato, no limpo e na justeza sem meias medidas ou tamanhas mesuras o que pensa, simples e puramente para se purificar do próprio círculo, esse maldito criatório sulfúreo que cria e recria ao preço de autoenvenenamento a cada nascer do dia.

sábado, 3 de maio de 2008

do you believe?


ah, essa é uma foto clássica. de um tempo louco, distante e sempre gostoso de lembrar mesmo que sem grandes venturas a exaltar.
está aqui agora - típicas caras de um desprezo. aliás, puramente justificável.
:P
(sempre nos achamos o máximo não por achar que éramos boas, mas por necessário ser. basicamente divas. de algo.
de algas.
de almas.)
"do you believe in life after love?"
Cher

Lusa e curta

Saramago é
estupendo
não só como escritor
mas como Pessoa